MOLIBDÊNIO

(MO 4%)

DISPONIBILIDADE NO SOLO

 - É difícil analisar as disponibilidades deste nutriente no solo. Presume-se que os níveis sejam baixos em todos os tipos de solos no Brasil.

- Sua disponibilidade aumenta com a elevação do ph. Sua deficiência é maior em solos ácidos.

- Alumínios (Al), Ferro (Fe) e o íon Sulfato (So4) em grandes quantidades diminuem a sua disponibilidade.

- Excesso de Cobre prejudica a absorção de Molibdênio e vice-versa.

- Níveis altos de Molibdênio insolubilizam o fósforo.

- O Molibdênio aumenta a absorção do Cálcio.

 

SINTOMAS DE DEFICIÊNCIA NA PLANTA

- Os sintomas aparecem nas folhas mais velhas, passando às novas.

- As folhas começam a amarelar nas bordas e se enrolam. Entre as nervuras aparecem manchas amarelas e necrose dos tecidos internos.

- As folhas novas ficam mais estreitas e curtas.

- Nas leguminosas há dificuldade de nodulação e paralisação da fixação do Nitrogênio.

- A deficiência de Molibdênio provoca o acúmulo de NItrato na folha, atingindo níveis tóxicos.

 

 

FUNÇÕES DO MOLIBDÊNIO NA PLANTA

- Está implicado nos sistemas enximáticos, como na redução dos nitratos.

- Age na fixação do Nitrogênio atmosférico pelos nódulos das leguminosas (nitrogenase).

- Influi na formação de aminoácidos e proteínas, onde atua como catalisador (redutase do nitrato).

 

 

RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS

CULTURAS
LEGUMINOSAS
GRAMÍNEAS
FRUTÍFERAS
ERVA MATE
DOSAGENS
1,0 l / ha
0,5 a 1,0 l / ha
2,5 a 3,0 l / ha
1,0 a 2,0 l / ha
ÉPOCAS DE APLICAÇÃO
20 a 40 dias após a germinação
20 a 40 dias após a germinação
Dividir a dosagem em 3 aplicações
Dividir a dosagem em 2 aplicações

REG. DO PROD. NO MA RS N 10265/10049-3

GARANTIA: 4% Mo p/p

DENSIDADE: 1,060 g/cm3

NATUREZA FÍSICA: FLUÍDO

Um convite para produzir mais

FERTILIZANTE FOLIAR